FIBROMIALGIA EM ADULTOS

A fibromialgia (FM) é uma causa comum de dor musculoesquelética crônica generalizada, frequentemente acompanhada de fadiga, distúrbios cognitivos, sintomas psiquiátricos e múltiplos sintomas somáticos. A etiologia da síndrome é desconhecida e a fisiopatologia é incerta . Apesar dos sintomas de dor nos tecidos moles que afetam os músculos, ligamentos e tendões, não há evidências de inflamação tecidual.

Fibromialgia, como outras síndromes somáticas funcionais, tem sido uma condição controversa . Os pacientes parecem bem, não há anormalidades óbvias no exame físico além da sensibilidade e os estudos laboratoriais e radiológicos são normais. Assim, o papel da doença orgânica foi questionado, e a FM foi frequentemente considerada psicogênica ou psicossomática. No entanto, pesquisas em andamento sugerem que a FM é um distúrbio da regulação da dor, frequentemente classificado como uma forma de sensibilização central.

A FM é uma causa comum de dor crônica e a causa mais comum de dor musculoesquelética generalizada em mulheres entre 20 e 55 anos de idade. A prevalência é de aproximadamente 2 a 3% e aumenta com a idade . A FM é mais comum em mulheres do que em homens e ocorre tanto em crianças quanto em adultos.

Pelo menos 10% da população em geral tem dor generalizada crônica, e a maioria desses indivíduos não tem nenhuma doença específica ou anormalidade estrutural para explicar a dor; muitos desses pacientes apresentam sintomas e achados compatíveis com a FM. Mais de 40% dos pacientes encaminhados para uma clínica de dor terciária tendem aos critérios diagnósticos para FM.

A FM é caracterizada por dor e fadiga musculoesquelética generalizada, freqüentemente acompanhada por outros sintomas somáticos, além de distúrbios cognitivos e psiquiátricos. O exame físico revela sensibilidade em várias localizações anatômicas dos tecidos moles. O teste laboratorial é normal na ausência de outras doenças. Alguns distúrbios são vistos com maior frequência em pacientes com FM do que na população geral. Algumas dessas condições podem se agrupar com FM e ter algumas características fisiopatológicas comuns, como síndrome do intestino irritável (SII) e enxaqueca. Além disso, certas características de outros distúrbios comumente associados podem simular ou exacerbar os sintomas da FM, como a dor musculoesquelética em pacientes com formas crônicas de artrite; e distúrbios do sono e fadiga em pacientes com depressão, apneia obstrutiva do sono ou síndrome das pernas inquietas.

Intervenções efetivas incluem uma série de terapias não farmacológicas e farmacológicas que geralmente são fornecidas em combinação. Os pacientes com fibromialgia geralmente respondem melhor a um programa de tratamento multidisciplinar e individualizado, sob a orientação do reumatologista ,que incorpora provedores clínicos e não clínicos, incluindo especialistas em medicina física, reabilitação e saúde mental.

 

Ana Teresa Amoedo é médica Espacialista em Reumatologia pela UNICAMP e SBR, e Prof. de Reumatologia da UEFS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *